domingo, 23 de janeiro de 2011

É de papel

 Quando era criança, recortava Monicas, Cebolinhas, Moranguinhos e Bichinhos pra colar na folha dos cadernos.  Minha mãe encapava a capa de todos os livros e cadernos e enfeitava com desenhos recortados de revistinhas. Não entendia que era scrapbook.
No Japão, comprei uma maquina digital e uma impressora e com ela, veio um software pra fazer montagens. Nessa epoca, isso era totalmente novo para mim. No Brasil, fotos reveladas, só em laboratorios e tiradas com filme.
Imprimi as fotos e fiz uns cartões pra mandar pra familia. Era scrapbook e eu não sabia...
Bom... agora eu sei. E graças à Tininha tomei coragem e resolvi levar a serio essa arte.
Eu tento, tento, mas não sai igual ao dela. Claro, as pessoas são unicas, tem um estilo proprio e eu não tenho os materiais que ela tem - ainda, rs. Material de scrapbook é caro e dificil de encontrar em cidades do interior - meu caso. Então, improviso. Aos poucos vou mostrando que consegui verdadeiros milagres com um simples papel de presente e color set. Ainda bem que posso aproveitar meus materiais de costura e bijouteria que tenho aos montes.

Um comentário:

  1. olá
    só agora vi esta postagem! adorei saber que de alguma forma servi como incentivo! rsrsrs
    beijao

    ResponderExcluir