sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Era uma vez...



A leitura sempre foi minha paixão. Qualquer coisa que tivesse letras me interessava. Papel de bala, rotulo de lata de extrato de tomate (Elefante, lembra?), bula de remedio.
Minha mãe era amiga de um jornaleiro - o Roque da banca - e toda semana ganhavamos revistinhas, da Turma da Monica e da Marvel, principalmente. E as fotonovelas, então? Eu lia escondida. Naquela epoca, o jornaleiro devolvia para a editora, somente os titulos das revistas não vendidas. Minha mãe tambem comprava muitas revistas em quadrinhos, de pintar com lapis de cor ou com agua, bonecas de papel pra recortar.
Ele tinha um quartinho, onde guardava o estoque e aquilo era uma festa! Minha infancia foi muito rica em cultura. E até hoje ainda guardo o livro que ganhei pela melhor redação (30 anos atras) algumas bonecas de papel e muitas revistinhas.
Mas o que amo mesmo são os livros. Este ai em cima, recebi ontem, ganho em um concurso de frases. É o quarto livro desde que comecei a participar - dois meses apenas.
Ontem tinha começado a ler A Vaca Deslumbrada, um livro antiquissimo da Edy Lima. Fiquei de boca aberta e frustradissima quando cheguei na pagina 32. Não tinha pagina 33, 34, 35...48! E agora, como vou saber o que aconteceu com a vaca, nesse intervalo? Esse livro tem mais de 20 anos e estava aqui em casa sem ter sido lido nenhuma vez, porque se alguem o tivesse folheado, teria percebido, ne? Pior que encontrar paginas faltando é ver um livro judiado, rasgado e esquecido.
Minha biblioteca, até que é bem grandinha. Me lembro de cada livro comprado, ganho ou emprestado (e não devolvido - que vergonha).
Queria ter mil olhos e a eternidade pra ler todos outra vez e tantos outros que prometi ler e que nunca dá tempo ou que nunca compro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário