sexta-feira, 18 de março de 2011

Ficar ou fugir?

Muitos brasileiros querem voltar para o Brasil, com medo de uma contaminação radioativa. Não sei se essas pessoas vivem nas areas de risco ou se simplesmente estão apavoradas.
Entendo esse receio, mas acho um absurdo levantarem cartazes EXIGINDO que o governo brasileiro mande aviões especialmente para busca-los.
O governo brasileiro disse que só poderia fazer isso em caso de risco extremo e que os outros paises o estão fazendo por terem comunidades menores. 
Gente! Calma. Não entrem em panico.
Quando aconteceu o terremoto em Shizuoka, à noite, eu tirei o Lucas do chuveiro falando TERREMOTO LU, ele saiu todo molhado, minhas pernas tremiam e eu só queria juntar cobertores, comida, agua, documentos e dinheiro. Fiquei igual barata tonta enquanto ele colocava algumas roupas na mochila. Deixamos as coisas perto da porta de saida e esperamos. Liguei para o Beto e ele calmamente falou "não senti nada, acho que foi fraco".
Só ai consegui relaxar. 
O medo faz o corpo entrar em alerta e se não nos controlarmos, esse medo pode levar ao panico.
Esses brasileiros estao em panico, só espero que não destruam o Consulado, não invadam os aeroportos e não comecem a saquear os supermercados. Isso esta perto de acontecer porque nós reagimos ao medo dessa maneira, é da nossa cultura agir assim.
Por isso admiro o povo japones e vi o orgulho nos olhos do Roberto Kovalick , ao falar para o Jornal Nacional sobre a aparente calma dos japoneses, seu respeito às filas nos postos de gasolina, nos abrigos, nas ruas.
Eu não quero ir embora, nem temos dinheiro para as passagens. Quero ficar e trabalhar na reconstrução do pais. Minha contribuição é de uma formiguinha, mas até uma formiga tem seu valor no formigueiro.
E que esses brasileiros consigam ir embora, pois melhor sairem ao inves de ficarem aqui, causando panico e preocupando nossa familia e amigos no Brasil. Sim, eles fazem isso, toda vez que aparecem nos noticiarios do Brasil.
Alguns brasileiros reclamavam que os japoneses se aproveitavam da nossa mão de obra, descartando nos momentos de crise. Que os japoneses nos humilhavam e nos tratavam como inferiores. Que eram racistas. Eu cheguei a pensar assim, mas agora entendo.
Não é que o japones é racista e não gosta da gente.
Só quem é japones entende o sentido da palavra COMPROMETIMENTO. 
Só quem é japones entende que o coletivo é mais importante que o individualismo e ao permitir que somente descendentes vivam aqui, acham que esse comprometimento está no sangue. Pensamento errado, acho eu. Mas é assim que eles são, então aceito.
Os estrangeiros estão abandonando o Japão!
Estão abandonando suas casas, seus trabalhos, seus amigos japoneses (que amigos, hein?).
Os estrangeiros tem um lugar para ir e vão ficar nos seus paises, seguros e confortaveis, esperando para voltarem quando tudo estiver normalizado.
Essas pessoas não merecem voltar. 
Uma vez, conversando com uma amiga japonesa, falava da minha saudade do Brasil e que se a crise chegasse eu voltava pra la, isso foi em 2008. Ela me olhou e depois de uma pausa, disse "voce tem para onde ir, e nós? nós, japoneses, temos de ficar e ajudar o Japão a se reerguer, porque é o unico lugar que temos".
Enquanto eu estiver vivendo aqui, vou fazer a minha parte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário