segunda-feira, 18 de abril de 2011

Por que presidenta e não presidente?

Tudo começou com uma publicação de um amigo no Facebook, uma piada meio preconceituosa:


Sandy... devassa.
Faustão... magro.
Silvio Santos... pobre.
Dilma... fazendo omelete na Ana Maria Braga.
Tiririca... na Comissão de Educação
Maluf e Collor na Comissão da Reforma Política...
Genoíno na Assessoria de ética do Governo...
Lula dando palestras em Universidades...

E depois dizem que vai acabar em 2012....



Gerou uma certa polemica, então publiquei uma nota

A vida é assim. Esquenta, esfria. Aperta, daí afrouxa. Sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem.
Dilma segurando as lágrimas
Dilma citou frases de Guimarães Rosa em seu discurso de posse e senti sinceridade nela.
Resolvi publicar esta nota depois de ler um post preconceituoso de um amigo que eu admirava muito. Para ele é o fim do mundo a Dilma fazer omelete no programa da Ana Maria Braga. Eu não gosto muito da Ana, mas o assunto não é sobre ela e sim, sobre nossa presidenta.
No programa ela explicou o porque de querer ser chamada de presidenta e achei muito coerente o que falou. Enfatizar o fato do Brasil ser governado pela primeira vez por uma mulher. A letra A sintetiza o feminino, disse ela. Na minha opinião, as mulheres  sempre ficaram atrás da cadeira do presidente - esposas, secretárias, amantes. Agora, uma mulher está na CADEIRA. Odeio as feministas que se acham melhores que os homens. Não acredito na igualdade totalitaria. Para mim, é o homem que protege, que tem os braços fortes e não gosto de ter as unhas quebradas fazendo um serviço pesado e sujo, se isso for machismo, então sou machista.
Nossa presidenta ama os livros tanto quanto eu, adora o cheiro de um livro. Quem é amante de literatura vai concordar que cada livro é uma aventura, uma viagem. Melhor ser viciado em cheirar livro do que pó. Os olhos da Dilma brilhavam quando falava sobre o tempo em que o pai a "obrigava" a ler Dostoiévisk em troca da coleção Biblioteca das Moças e da sua vontade de trazer o Abaporu da Tarsila para o Brasil. Muito corajoso admitir que admira artes mas não sabe pintar absolutamente nada.
Não sei se ela vai fazer um bom governo, mas vou torcer muito por ela. Só acho que ela não é boa oradora, não tem o dom da oratoria, mas não é isso que queremos? Mais ação e menos blá-blá-blá?
Todo politico que se preze, fala bem (?). Discursos longos, chatos, tediosos e mentirosos. Até numa conversa informal, um politico estufa o peito,  levanta o queixo e fala alto, pensando estar num palanque.
Eu votei nela.
Se fiz a escolha errada, o tempo dirá. 
A vida é assim. Às vezes escolhemos o marido errado, o emprego errado, o caminho errado. Se sempre escolhemos o errado, será que o problema não está em nós? Não devemos culpar o objeto da nossa escolha, afinal foi uma escolha nossa.
A Dilma - como sempre - tropeçou nas palavras, ao falar sobre o que aconteceu no Rio de Janeiro. As lagrimas falaram por ela...

Nenhum comentário:

Postar um comentário