sábado, 20 de agosto de 2011

Um elefante incomoda muita gente, duas formigas incomodam muito mais!


Ler é um prazer muito caro no Japão, mas temos a sorte de ter gratuitamente publicações semanais, quinzenais ou mensais no nosso idioma. Informações, dicas de lazer, cuidados com a saúde, etc e muitos, muitos anuncios de diversas areas. Claro que se não fossem por esses anunciantes, não seria possivel oferecer à comunidade publicações gratuitas, mas não é sobre isso que queria comentar, isso fica para outro post.
Em uma dessas publicações, a materia de capa falava sobre plus size ser a nova tendencia da moda. Para quem não sabe (eu era uma delas), plus size é a designação para modelos que fogem do padrão - modelos altas e magras, com cara de "nada", sem qualquer expressão facial. Mulheres plus size são aquelas que valorizam seu corpo cheio de curvas generosas, possuem auto-estima e exibem sorrisos na passarela ou na rua ou por onde quer que passem. O mercado para as mulheres gordas (se voce se indignou com a palavra gorda, voce certamente é um discriminador e preconceituoso) é muito limitado. Encontrar uma roupa que se adeque ao seu tamanho - na maioria das vezes ultrapassando o manequim 44 - é muito dificil e acabam comprando o que serve e não o que gostam. A moda é cheia de regras para essas mulheres. 
Xadrez, listras horizontais, flores, onça, zebra, bolas? Nem pensar! Blusas curtinhas e calça skinny são peças proibidissimas! Biquini? Tá louca??
Louco é quem inventou essa bobagem de regras. Quer usar roxo com laranja? Use! Calça xadrez com blusa de zebra, vai ficar esquisito, mas se voce achar bonito... A roupa não importa, a sua atitude é que vai torna-la ridicula ou não. Escolha com o coração e não se incomode com o que as pessoas vão falar, porque vão falar, de qualquer maneira. Se ouvir risadinhas, fique feliz, pois pelo menos voce está sendo olhada enquanto essas pessoas vivem na sombra.
Nessa revista, mulheres plus size contam suas experiencias, falando das dificuldades de serem aceitas e valorizadas. Todas se dizem felizes por serem gordinhas, mas sinceramente, senti uma pontinha de amargura.
Apelidos pejorativos e maldosos acompanham homens e mulheres desde a infancia e se isso não for acompanhado pelos pais, podem se transformar em complexo e tornar essas pessoas infelizes e inseguras.
"Que bebê gordinho, mais lindo" pode se transformar em "nossa, como voce tá gordo!" no futuro e o mais impressionante, dito pela MESMA pessoa.


Claudia... por que voce está escrevendo sobre isso, se voce é magra, quase uma esqueletica??
Porque vi um paradoxo nessa publicação e me indignei.
Na capa, os temas em destaque são o plus size ser a nova tendencia da moda e sobre gordura abdominal, mas a foto da modelo que está nessa mesma capa, de plus size não tem nada! Usando biquini, exibe um corpo bem no estilo "padrão", poderia estar estampando revistas como "Boa Forma" e "Nova".
Por que ela e não uma mulher gorda? Porque mulheres magras vendem a imagem de beleza e saúde. São cobiçadas pelos homens e invejadas pelas mulheres. Nosso cerebro está condicionado pela ditadura imposta pelo mundo dos "perfeitinhos".
A revista inteira é um paradoxo! A materia "10 Dicas> Sol, Praia, Bronze", mostra só fotos de mulheres MAGRAS e perfeitas e na materia sobre gordura abdominal, adivinhe... Uma gordinha olhando um sanduiche enorme, numa pose caricata.
Pessoal, sejam mais coerentes! Eu não tenho nenhuma formação academica, não sou publicitaria nem jornalista, sou simplesmente uma leitora que achou estranho ver a materia de capa ser engolida por fotos de beldades. Tenho todo o direito de contestar, afinal essas publicações são para nós, não é mesmo?


Se isso servir de consolo, magro também sofre e como sofre! Eu sou magra e baixinha. Uso manequim 34 indo para o 36 e calço 22~22.5. Às vezes, só encontro roupas para mim na seção infantil. É muito frustrante experimentar uma roupa e ela passar direto; uma blusinha não delinear; calça cuja barra precisa ser cortada; mangas precisarem ser dobradas.
Tudo bem, concordo que há mais opções para manequim 36 do que 46, mas não estou reclamando de "barriga cheia" , cada um com seus dilemas.
Magros e baixos também carregam apelidos maldosos - tampinha, chaveirinho, salva-vidas de aquario (esse é o pior!), taquara, pau-de-virar tripa (eca!), espeto - e ouvem expressões do tipo "tá chovendo aí em baixo?", "segura ela, senão o vento leva".
Meu marido me chama de BA, abreviatura de baixinha, desde que começamos a namorar, a 25 anos. Ouço muitas piadinhas mas quer saber? Eu acredito que são demonstrações de carinho que sentem por mim.
Se voce é gorda e se está num peso que não prejudica a saúde, encare esses apelidos com bom humor, pois ser chamado de gordo não pode ser pior que ser chamado de ladrão, mentiroso ou assassino. E editores, sejam mais coerentes. Nós merecemos uma leitura de qualidade, gratuita ou não.




Eu queria ser alta e magra e ter barriga de tanquinho. Ter peito grande e bumbum empinado. Queria ser milionaria. Queria ter casado com o George Clooney.


Paradoxo? Não, simplesmente sonhos...




Nenhum comentário:

Postar um comentário