domingo, 25 de dezembro de 2011

Feliz Natal? Espero que sim

nossa Arvore de Natal

nesses cartões, fizemos nossos pedidos
 Hoje é Natal e antes que termine o dia, quero escrever sobre o MEU Natal.
O meu Natal tinha Papai Noel distribuindo balas em frente ao Anchieta Center. O coreto da praça ficava iluminado e as pessoas sorriam. Pais andavam de mãos dadas com seus filhos em busca do "presente perfeito".
Em um desses Natais, meu dichan nos levou nas Pernambucanas para comprar vestidos novos.
Em outro, ganhamos uma Susi. Outro dia postei a foto dela. Caramba! Ela completou 35 anos! E continua linda!!
gatinho da PAZ, biscoitos da Milla e saquinho de moedas de chocolate
 No meu  Natal, as ruas não tinham carros nem pessoas apressadas. Todos andavam calmamente, procurando um Papai Noel distribuindo balas.
A familia vinha de todos os cantos, viajava horas e horas só pra estar reunida na casa do dichan e comer manju que a bachan fazia.
Meu Natal parou no ano de 1990, quando dichan morreu. Pode parecer injusto para com as outras pessoas, mas a verdade é que o Natal só acontecia por causa dele. Talvez eu o esteja culpando pelo Natal ter morrido com ele, afinal depois da partida dele, as pessoas simplesmente deixaram de se reunir, cada um comemorando a sua maneira, em casas e lugares diferentes.

mini cartões que fiz para escrevermos nossos pedidos
Para mim, o Natal só tem um significado: reunir as pessoas que amamos para reafirmar esse amor, essa amizade.
Moro num país onde essa tradição é puramente um evento comercial. 
Vendedores usam gorros do Papai Noel; lojas capricham na decoração; ruas e estações de trem se iluminam e tudo parece maravilhoso. 
A verdadeira face do Japão está nas fabricas, que não dispensam seus funcionarios.
Beto foi escalado, de ultima hora , para trabalhar na noite do dia 24. Fiquei decepcionada e muito triste. Como nós dois trabalhamos no turno da noite esta semana, fomos dormir depois do almoço - eu, porque estava cansada e ele por ter que ir trabalhar.
Chorei baixinho, pensando "aqui não existe natal mesmo". Beto ouviu e falou que não iria mais, que mandaria avisar o chefe que não trabalharia, afinal foi escalado de ultima hora e queria muito ficar com a gente. Foi um milagre de Natal, porque quem o conhece, sabe que ele não falta NUNCA!
Depois de uma certa epoca, deixei de comemorar datas como o Natal, aniversarios, Dia das Mãe/Pais ...
Preciso urgentemente, desesperadamente recuperar a fé nessas datas. Resgatar a alegria, a emoção que acompanha esses momentos.
Talvez eu esteja deprimida por estar longe do resto da familia e com a chegada dos 40 eu esteja querendo mais da vida. Ou menos, ne? Menos trabalho, menos estresse, menos comida pronta e embalada pra viagem.
O dia está chegando ao fim e amanhã tem trabalho. O sono vem chegando devagar...
Então, desejo nesse restinho de Natal, que em breve todos possamos estar finalmente juntos - como era antigamente.

2 comentários:

  1. Bom,

    acho que depois de estar morando aqui a mais de 15 anos entendo o que você diz...
    Sou solteiro, não muito social (acho que você morando aqui a anos entenda o porque) e acabei como você esquecendo estas datas...
    Pra dizer a verdade, depois que comecei a entender a vida, não curtia estas datas.
    Problemas de família... rs
    Eu era bem mestiço quando pequeno e minha mãe nissei.
    Ela não conviveu com sua família depois de casada, vim a conhecer alguns parentes depois dos 20 anos...
    Então, todas estas datas festivas eram sempre na casa de minha avó e sua família, que eram todos italianos e não aceitavam nem minha mãe, nem eu.
    Então imagine o ar de falsidade e hipocrisia que rolava... Isso porque geralmente era sempre meus pais que bancavam tudo...
    Enfim, mas entendo o que você diz.
    Eu mesmo trabalhei dia 24 e 25...
    Sinto falta também, mas como não tenho família, nada a fazer por enquanto rs
    Mas, acho que sim, de alguma forma, se você sente falta, deve tentar buscar, trazer novamente a alegria desses dias para a sua vida!!!
    Tem um marido que lhe ama muito e seus filhos que com certeza também!!!
    Boa sorte e espero que neste ano de 2012, mais e mais alegrias surjam em sua vida e faça com que seus dias deixem de ser cinzas!!!
    Abraxos.

    ResponderExcluir
  2. A vida proporciona coisas - imperceptiveis, às vezes - e se a gente se fecha, não aproveita. Eu tento continuar com os canais abertos, mesmo que seja um buraquinho.
    A vida me apresentou voces (incluo os seus amigos de pelo) e espero manter essa porta SEMPRE aberta. Com ou sem Natal.
    Beijo

    ResponderExcluir