sábado, 20 de agosto de 2011

Um elefante incomoda muita gente, duas formigas incomodam muito mais!


Ler é um prazer muito caro no Japão, mas temos a sorte de ter gratuitamente publicações semanais, quinzenais ou mensais no nosso idioma. Informações, dicas de lazer, cuidados com a saúde, etc e muitos, muitos anuncios de diversas areas. Claro que se não fossem por esses anunciantes, não seria possivel oferecer à comunidade publicações gratuitas, mas não é sobre isso que queria comentar, isso fica para outro post.
Em uma dessas publicações, a materia de capa falava sobre plus size ser a nova tendencia da moda. Para quem não sabe (eu era uma delas), plus size é a designação para modelos que fogem do padrão - modelos altas e magras, com cara de "nada", sem qualquer expressão facial. Mulheres plus size são aquelas que valorizam seu corpo cheio de curvas generosas, possuem auto-estima e exibem sorrisos na passarela ou na rua ou por onde quer que passem. O mercado para as mulheres gordas (se voce se indignou com a palavra gorda, voce certamente é um discriminador e preconceituoso) é muito limitado. Encontrar uma roupa que se adeque ao seu tamanho - na maioria das vezes ultrapassando o manequim 44 - é muito dificil e acabam comprando o que serve e não o que gostam. A moda é cheia de regras para essas mulheres. 
Xadrez, listras horizontais, flores, onça, zebra, bolas? Nem pensar! Blusas curtinhas e calça skinny são peças proibidissimas! Biquini? Tá louca??
Louco é quem inventou essa bobagem de regras. Quer usar roxo com laranja? Use! Calça xadrez com blusa de zebra, vai ficar esquisito, mas se voce achar bonito... A roupa não importa, a sua atitude é que vai torna-la ridicula ou não. Escolha com o coração e não se incomode com o que as pessoas vão falar, porque vão falar, de qualquer maneira. Se ouvir risadinhas, fique feliz, pois pelo menos voce está sendo olhada enquanto essas pessoas vivem na sombra.
Nessa revista, mulheres plus size contam suas experiencias, falando das dificuldades de serem aceitas e valorizadas. Todas se dizem felizes por serem gordinhas, mas sinceramente, senti uma pontinha de amargura.
Apelidos pejorativos e maldosos acompanham homens e mulheres desde a infancia e se isso não for acompanhado pelos pais, podem se transformar em complexo e tornar essas pessoas infelizes e inseguras.
"Que bebê gordinho, mais lindo" pode se transformar em "nossa, como voce tá gordo!" no futuro e o mais impressionante, dito pela MESMA pessoa.


Claudia... por que voce está escrevendo sobre isso, se voce é magra, quase uma esqueletica??
Porque vi um paradoxo nessa publicação e me indignei.
Na capa, os temas em destaque são o plus size ser a nova tendencia da moda e sobre gordura abdominal, mas a foto da modelo que está nessa mesma capa, de plus size não tem nada! Usando biquini, exibe um corpo bem no estilo "padrão", poderia estar estampando revistas como "Boa Forma" e "Nova".
Por que ela e não uma mulher gorda? Porque mulheres magras vendem a imagem de beleza e saúde. São cobiçadas pelos homens e invejadas pelas mulheres. Nosso cerebro está condicionado pela ditadura imposta pelo mundo dos "perfeitinhos".
A revista inteira é um paradoxo! A materia "10 Dicas> Sol, Praia, Bronze", mostra só fotos de mulheres MAGRAS e perfeitas e na materia sobre gordura abdominal, adivinhe... Uma gordinha olhando um sanduiche enorme, numa pose caricata.
Pessoal, sejam mais coerentes! Eu não tenho nenhuma formação academica, não sou publicitaria nem jornalista, sou simplesmente uma leitora que achou estranho ver a materia de capa ser engolida por fotos de beldades. Tenho todo o direito de contestar, afinal essas publicações são para nós, não é mesmo?


Se isso servir de consolo, magro também sofre e como sofre! Eu sou magra e baixinha. Uso manequim 34 indo para o 36 e calço 22~22.5. Às vezes, só encontro roupas para mim na seção infantil. É muito frustrante experimentar uma roupa e ela passar direto; uma blusinha não delinear; calça cuja barra precisa ser cortada; mangas precisarem ser dobradas.
Tudo bem, concordo que há mais opções para manequim 36 do que 46, mas não estou reclamando de "barriga cheia" , cada um com seus dilemas.
Magros e baixos também carregam apelidos maldosos - tampinha, chaveirinho, salva-vidas de aquario (esse é o pior!), taquara, pau-de-virar tripa (eca!), espeto - e ouvem expressões do tipo "tá chovendo aí em baixo?", "segura ela, senão o vento leva".
Meu marido me chama de BA, abreviatura de baixinha, desde que começamos a namorar, a 25 anos. Ouço muitas piadinhas mas quer saber? Eu acredito que são demonstrações de carinho que sentem por mim.
Se voce é gorda e se está num peso que não prejudica a saúde, encare esses apelidos com bom humor, pois ser chamado de gordo não pode ser pior que ser chamado de ladrão, mentiroso ou assassino. E editores, sejam mais coerentes. Nós merecemos uma leitura de qualidade, gratuita ou não.




Eu queria ser alta e magra e ter barriga de tanquinho. Ter peito grande e bumbum empinado. Queria ser milionaria. Queria ter casado com o George Clooney.


Paradoxo? Não, simplesmente sonhos...




sábado, 13 de agosto de 2011

Lá vai a triônica, Formiga AtOOOOOOmica!

Por que as formigas andam em fila?

Desde criança fui fascinada por formigas. Como a maioria das crianças, já fiquei horas olhando para elas, indo e vindo, carregando folhas e outras coisinhas para dentro do formigueiro e como toda criança , já matei uma ou outra, já joguei agua na entrada do formigueiro, coloquei pedrinha ou pisei sem dó desmanchando tudo.
Que emoção, ver todas elas correndo desnorteadas, indo em todas as direções. Que alegria, tirar a folhinha das costas delas e ver que ficam procurando, sem entender o que aconteceu. Minha casa tinha um quintal enorme a perder de vista, com muitas arvores e flores. Já contei aqui, que era meu bosque particular, onde acordava de madrugada e ficava brincando de princesa perdida. Na piscina (bom, eu achava que era) brincava de praia, fingindo ser um peixe, dava braçadas imaginarias e quando cansava, sentava na escadinha lateral e ficava de olhos fechados. Esse quintal tinha muitos formigueiros e que danadas, eu e meus irmãos destruiamos um e logo surgia outro. Ninguem me falou que formigas são seres vivos e que merecem respeito e que tirar a vida de qualquer ser vivo, por puro divertimento é errado. 
Amanda e Lucas cresceram com outro conceito - o certo. Respeitar qualquer ser vivo e matar, só em raras exceções - pernilongos, baratas, ratos, pulgas e piolhos são algumas delas.
Hoje, vejo as formigas como o maior exemplo de sociedade organizada e disciplinada que existe. Isso me levou a buscar resposta para uma duvida que sempre me perseguiu. Por que as formigas andam em fila?
Aqui, achei a resposta e transcrevo um trecho:


O Andar em fila das Formigas: uma questão de comunicação


As Formigas andam em filas tanto para localizar a posição do alimento em relação ao formigueiro quanto para se orientarem sobre o caminho a seguir.

Esta orientação é desenvolvida através da comunicação que é realizada pelas formigas através da emissão do Feromônio.
Ao longo da evolução, os insetos desenvolveram uma comunicação química característica, utilizada para a transferência de informações entre indivíduos da mesma espécie. Feromônios, são substâncias químicas excretadas por organismos vivos detectados por outros indivíduos da mesma espécie, produzindo mudanças de comportamento específicas.

A organização da vida das Formigas em sociedades somente é possível pela ação do feromônio, que proporciona o reconhecimento individual e a cooperação na execução das múltiplas atividades da colônia.

No artigo da revista Superinteressante, intitulado, Formigas - Isto sim é civilização! Parte 1, há uma explicação bem simples da forma de comunicação das Formigas através dos Feromônios, que apresenta:

No caminho, as operárias esfregam a barriga no chão, deixando um rastro com o cheiro da colônia a que pertencem, para que ela mesma e as companheiras não se percam. Formigas não falam, mas os Feromônios, que são as substâncias que carregam odores, substituem com eficiência as palavras. No caminho para o formigueiro, a operária pára na frente de outra Formiga. As duas esfregam suas sensíveis anteninhas que são receptores moleculares, percebem que são da mesma colônia. Antes de seguir em frente, a operária divide um pouco da folha que leva para casa e avisa, com outro Feromônio: "Ali na frente tem algo que nos interessa".




Mas de nada adianta essa liberação de feromonio se não tiver um lider - no caso, a rainha para iniciar a organização.
Assim, começo outro questionamento:

O Japão é um formigueiro?


Eu entendo a hierarquia japonesa, mas essa forma de pensar, não impede que os chefes sejam educados e cordiais. Ouvir "Bom dia", "Bom trabalho", "Obrigado" e "Por favor" torna nossa rotina de trabalho mais produtiva. Uma formiga quando pisada, jamais poderá carregar o mesmo peso de antes e estará tão desorientada que terá medo de prosseguir, perderá a confiança e não há feromonio que arrume a desordem.  
 Aqui no Japão, um erro cometido é motivo para reunião geral e muita bronca. Eles alegam que uma empresa japonesa tem um compromisso de honra com o cliente: cumprir o prazo com qualidade.
Trabalhar em uma empresa japonesa é assinar um contrato com um carrasco.
Eles gritam, apontam o dedo, chamam de incompetente e isso na frente de todos os funcionarios. Vi muitas pessoas sairem da seção chorando e nem aparecerem no dia seguinte. Eu, pelo contrario, sempre aguentei firme e tentei de todas as formas, melhorar e trabalhar com mais atenção para errar o menos possivel, porque NUNCA errar é impossivel. Somos seres humanos, movidos por sentimentos e passiveis de falhas.
Quando cumprimos o prazo e por incrivel que pareça, sem nenhum erro, NUNCA somos elogiados. O lider é que recebe as congratulações. Quando perdemos o prazo e o dia foi cheio de falhas, melhor começar a rezar, porque lá vem bronca. Minutos que duram a eternidade ouvindo sobre os erros cometidos, onde é repassado nos minimos detalhes o procedimento para evitar mais erros. Ninguem erra propositalmente! O pior de tudo é ouvir coisas do tipo "voces recebem dinheiro para executar um trabalho mal feito", "voces estao aqui para trabalhar e não passear", "voces devem cumprimentar as pessoas, principalmente os chefes", mas... eles passam por nós como se estivessem fugindo da cruz ou se tivessemos alguma doença contagiosa que nem dá chance de falar Ohayoo. Quando há pouco trabalho ou quando estamos esperando liberação, eles falam sooji (limpeza) e todos pegam vassoura e pano pra limpar a seção.
Às vezes, concordo com as broncas, porque muita gente enrola, fica passeando com a vassoura, conversando e passando o pano no mesmo lugar. Poxa, aproveita o tempo livre pra limpar direito e organizar o local de trabalho! Quando tenho esse tempo livre, aproveito pra organizar, abastecer, limpar e jogar o que não é necessario e sempre vem um que fala "ah, Claudia, não precisa limpar ai, não", "credo, vai sujar a sua mão", "joga a sujeira embaixo da estante, mesmo". Quando um chefe aparece, todo mundo corre fazer alguma coisa, desesperado pra não parecer parado. Não seria mais facil e menos estressante se estivessem fazendo a limpeza direitinho?
Nós somos como essas formigas, trabalhando incessantemente, realizando o mesmo trabalhao, por horas e horas. Quando uma formiga derruba a folha ou esquece de liberar o tal do feromonio, cria uma desordem, quebra o ritmo da produção. Bons lideres resolvem rapidamente o problema, trazendo nova folha, liberando o feromonio esquecido e reestabelecendo a fila. Bons lideres facilitam o trabalho, criando condições para que as operarias executem o transporte da comida de maneira organizada. Maus lideres, ficam apontando o erro, perguntando para a formiga "por que voce derrubou a folha?", "onde voce derrubou a folha?" "por que voce esqueceu de esfregar a barriga no chão, se faz TODO DIA ISSO??", "sabia que se não levar a comida pro formigueiro, as outras formigas vão MORRER de fome?"
Voce, que nunca trabalhou em uma empresa no Japão, deve estar horrorizado pensando "não pode ser, japones é tão bonzinho... o seu João e a dona Maria, que vendem pastel na feira são tão simpaticos!"
Meu avo tinha uma lavanderia e todos os seus clientes o adoravam, mas nós que conviviamos diariamente com ele, tremiamos quando ele nos repreendia com um olhar. Bastava um olhar e os netos ficavam quietinhos.
Mas tive muitos chefes legais, que souberam liderar com simpatia e eficiencia. Um deles, o Baba san, era uma pessoa alegre, sempre com um sorriso no rosto, era extremamente kibishii (exigente), mas dava todas as condições para realizarmos o trabalho com eficiencia e rapidez.
Uma das muitas lições que aprendi com ele foi "quando fizer sooji, faça o MELHOR sooji da sua vida, isso pode parecer insignificante, mas vai fazer toda a diferença". E fez, Baba san.

No geral, quem esta aqui ou ai no Brasil, devem estar se perguntando "o que essa louca esta fazendo no Japão então, se é tão horrivel?"
Esse é um questionamento que dificilmente conseguirei explicar, só vivendo no Japão para entender, ou quem sabe, eu sou a identidade secreta da Formiga Atomica.

domingo, 7 de agosto de 2011

Teru teru bozu, Ashita tenki ni shite o-kure

Vou ser bem direta: Não gosto do calor!
E isso é bem contraditorio, porque sou muito friorenta... Pode estar fazendo um calor de 40ºC e durmo coberta. Em qualquer epoca do ano, tomo banho quente porque não suporto banho frio, saio tremendo do chuveiro e A-M-O café fumegante. Todas as vezes que vou ao supermercado, reclamo do ar refrigerado. Levantar cedo no inverno? Uma tortura!
Mesmo assim, não gosto da sensação do calor. Suor escorrendo pelo corpo, roupa grudando, moleza, sono, desanimo...
Não é que eu prefira o frio, mas... calor demais, é um sofrimento para mim.
Gosto mesmo é da chuva. Chuva de verão é linda! Dias chuvosos são tão romanticos... Adoro o cheiro da terra molhada, apesar da minha rinite alergica (a ponta do meu nariz fica coçando), as arvores ficam mais verdinhas e as flores ganham viço.
Concordo que dias chuvosos trazem alguns inconvenientes, tais como, não poder lavar roupa, o piso do carro ficar todo molhado quando entramos com o guarda chuva pingando, o cabelo fica parecendo que a vaca lambeu.
Como o calor está insuportavel, acho que vou fazer varios teru teru bozu.
Encontrei um blog muito legal, o da Lilian, que explica direitinho o que é um teru teru bozu. Vou transcrever alguns trechos, mas recomendo que leiam o post na integra.


Teru Teru Bozu (てるてる坊主, significa Monge budista careca") são bonecos feitos de papel ou pano feitos a mão. Os fazendeiros do Japão começaram a prende-los na janela como amuleto.

O amuleto supostamente tem poderes mágicos para trazer bom tempo e prevenir ou parar os dias de chuva. Teru Teru Bozu ficaram populares durante o Período Edo pelas camadas urbanas, em que as crianças faziam um dia antes do dia em que queria bom tempo.
A tradição do teru teru bozu é oriunda da China. 

Conta uma lenda que existiu uma menina/deusa chamada So-Chin-Nyan [掃晴嬢 

サオチンニャン] que com as suas vassouras, varria as nuvens do céu, presenteando o povo com belos dias ensolarados. 
Os chineses então, passaram a fazer bonecas com papel branco, roupas vermelhas e pequenas vassouras de palha para pendurá-las na janela, desejando um céu mais limpo.



A figura da menina foi substituída por uma bolinha coberta por tecido ou pedaço de papel.





Se o desejo é o oposto, basta pendurar bonequinhos negros ou de cabeça para baixo.
Será que as pessoas irão brigar comigo se eu pendurar varios bonequinhos pra chamar um pouco de chuva?
Pra falar a verdade, eu ficaria com medo de ver esses bonequinhos pendurados na minha janela. O jeito é aguentar mais um pouco esse calor.

sábado, 6 de agosto de 2011

Curso de Scrapbook

Eu e Beto no Castelo de Osaka
Amanda e Beto, no jardim da vizinha

Amanda e Lucas, no quintal da vovó

Laís, minha neta, filha da Amanda. Cartão de Natal para presentear as tias, vovós e bisavós.
Costumo dizer que fotos são como pedacinhos de retalho que vou costurando ao longo do tempo. É uma colcha multicolorida, feita de emoções, lembranças, risos e lagrimas. Gosto de acariciar esses pedacinhos de papel, prolongando o olhar relembrando o momento em que a foto foi tirada. Fotos são momentos únicos, feitos com sorrisos, beijos roubados, abraços apertados de saudade. O sopro da vela de aniversario, o sim do matrimonio, a agua benta abençoando o bebê, o primeiro dentinho, a primeira janelinha, o primeiro dia de aula.
Meus filhos são meus retalhos favoritos, tão coloridos e cheios de vida!
Depois que comecei a fazer scrapbook, passei a ter não só uma colcha, mas varias! Romanticas, engraçadas, vintage...
Para mim, scrapbook é acrescentar um carinho a mais em uma foto. Uma fita, um botão, a embalagem de um bombom, o guardanapo do restaurante onde comemorei aniversario de casamento, o ingresso da Disney,  passagens de avião, petalas de um buque.




CDs velhos podem se transformar em albuns ou em um cartão de aniversario. Uma foto pode ser enviada como cartão de natal ou como um presente no dias das mães.


Um amigo que partiu, receber a foto tirada na despedida, cheia de mimos, significa o quanto ele é especial.


leque decorado - meninas reunidas no churrasco de confraternização













Amo tanto fazer scrapbooking que resolvi repartir essa emoção dando um curso para iniciantes.

Para a primeira aula, ensinarei a fazer um album feito com cds.

Este album, fiz com fotos da Amanda e Lucas, quando eram pequenos. Estas fotos estavam guardadas em um daqueles albuns antigos, da epoca dos filmes de rolo.
Caixa para guardar o album feito com cds e tag

Lucas, aos 2 anos com seu inseparavel chapeu

Amanda, aos 6 anos, "dirigindo" por Paris

Lucas com o presente da vovó

Amanda em Campos do Jordão



O curso dá direito a:
- certificado;
- apostila;
- 2 cds;
- material para decorar o album durante o curso (botão, fitas, adesivos e papéis decorativos);
- 1 kit scrapbook para montar um cartão;

Para a aula, levar 2 (duas) fotos de até 10X15 cm, poderá ter a necessidade de recortar a foto, então, recomendo que faça uma copia.

Acima de 7 alunos por aula, sortearei um album decorado com temas variados (casamento, diario de viagem, aniversario infantil, etc).

Para fazer a inscrição e reserva do curso, entrar em contato com o Grupo Ombro Amigo de Nagoya:

facebook:http://www.facebook.com/ombroamigo.japan
blog: http://ombroamigonagoya.blogspot.com/
Gracete: 080-3633-0167

Espero voces!