domingo, 5 de agosto de 2012

Tomar café, amiga!

Hello! Today I talk about my friends.
¡Hola! Hoy hablo de mis amigos.
Hello!Ngayon ko makipag-usap tungkol sa aking mga kaibigan.
こんにちは!今日は私の友人について話しています。
Olá! Hoje vou falar sobre os meus amigos.

Uma coisa tenho que admitir, infelizmente brasileiros têm preguiça de aprender outro idioma, quer dizer, não sei se é preguiça ou se acostumaram com aquele famoso "jeitinho brasileiro" e acham desnecessário aprender, afinal todo mundo tem um amigo "tradutor" e se não tiver, não tem problema, usam mímica, linguagem do Tarzan (mim, Tarzan. você, Jane) ou como meu amigo Jorge, usam a linguagem do "kore, kore".
Eu me viro no nihongo, às vezes me dá bloqueio e não adianta insistir que não entendo nada! mas na maioria das vezes, dá pra encarar uma prefeitura, um banco, correio, o chefe japonês. Quando decidi aprender japonês, tive uma motivação: não depender de tradutores maldosos, que se aproveitavam da minha ignorância. Foram três meses enterrada nos livros e dicionários e naquela época, não tinha computador em casa, então nada de internet. O fato de não termos carro, TV com canais em portugues, computador (Facebook, Orkut, MSN, Instagram, Twitter, Youtube) ajudou bastante ;P.
Aprender japones me proporcionou recompensas e me trouxe muuuuitas responsabilidades, alguns problemas e em alguns momentos, um certo arrependimento por ter estudado tanto.
Os chefes me fizeram de interprete, transmitindo ordens e broncas. Defendia os brasileiros de chefes carrascos (isso realmente me trouxe problemas...), mas graças ao meu bom trabalho (sem falsa modéstia, porque me empenhei muito) eles foram transferidos e muita gente respirou aliviada. Traduzia e simplificava os manuais. Ganhei amigos e fiz inimigos também depois que me tornei líder. Se pudesse voltar no tempo? Faria tudo de novo, pois foi uma época de aprendizagem, penosa e recompensadora.
Doze anos depois, temos carro, computador, iPad, chefes brasileiros, tradutores nas prefeituras, lojas de produtos brasileiros, milhares de sites que ensinam nihongo e que dão dicas sobre como sobreviver num país completamente diferente do nosso.
Meus companheiros de trabalho são japoneses, filipinos, peruanos e brasileiros.
Eu deveria ficar envergonhada e não honrada pelo meu chefe peruano falar comigo em portugues, às vezes em japones. Eu deveria ficar envergonhada pelo meu chefe japones falar "bom dia" e me chamar de "bonita". Eu deveria me enfiar num buraco quando meu companheiro de linha, que é filipino, falar "tomar café" quando chega a hora do intervalo, quando me chama de "amiga", ou mesmo quando me pergunta "cansada?", e quando fala "descanso" quando a máquina quebra.
Por quê? Porque eu não sei UMA palavra em tagalog. Nunca me interessei em aprender.
Porque meu chefe japones, aprendeu a falar "bonita" quando quer me pedir alguma coisa, a fazer horas extras por exemplo. Funciona, hahahahahaha
Porque meu chefe peruano acha mais simples e rápido falar em portugues do que em espanhol; porque ele anota num papel todas as palavras novas que vai aprendendo.
Eu progredi no nihongo, fiz e passei no teste de proficiencia (tudo bem que foi o nivel 4, mas foi um avanço, né?). Tive aulas com um japones, professor de literatura em uma escola particular e graças à ele, consigo ler e interpretar textos - com kanjis!! Ele me presenteou com livros, apostilas e dicionários e fiquei muito triste por ter que ir para o Brasil e abandonar os estudos...
Conheço muita gente - brasileiros - que não fazem nenhum esforço pra aprender nihongo e ainda sentem uma certa raiva de japoneses. Meu Deus do Céu! o que estão fazendo aqui?? Eu gosto e respeito o país que me acolheu. Acho meio ridículo as propagandas da tv e meio cansativo os programas - só tem comida! mas AMO as novelas, os documentários e um programa de reforma de casas.
Depois de certos acontecimentos, decidi voltar a estudar japones e inglês. Espanhol também, mas tagalog fica pra outra encarnação. Arriscarei  um Magandang umaga, magandang hapon, magandang gabi. 


Tente adivinhar, a nacionalidade de cada um aí em cima. Uma dica: todos têm em comum uma palavra que pode ser traduzida como amizade, companheirismo, solidariedade, risadas, micos, despedidas, lagrimas, saudade, alegria, estresse, Japão!


nota. As frases no topo, traduzi no Google Translate, só posso garantir a que está em portugues - por enquanto.

2 comentários:

  1. Quando abriu as inscrições para o JICE fui fazer as aulas de nihongo. Eu amo aprender sabe, mas realmente o brasileiro em si é acomodado! Pessoas que estão há 20 anos no Japão já eram pra saber o idioma inclusive kanji mas muitos nem hiragana sabem! Uso o dicionário do smartphone todos os dias e quando é kanji eu desenho e lá vem a tradução. Saber inglês facilita também pois muitas palavras derivam, antes eu não conseguia ouvir e saber que sílabas os japoneses estavam falando e pra mim era difícil saber que palavra em japonês era. Depois que aprendi hiragana foi mais fácil e agora mesmo não sabendo japonês, se ouço algo parecido com inglês já sei o significado né
    Na aula de japonês ouço brasileiro reclamando do Japão e dos japoneses, mas é como você disse: estão fazendo o que aqui né! Nada satisfaz essas pessoas.
    Uma filipina do curso está aprendendo português só de conviver conosco!
    Aos poucos estou aprendendo e já disse pro meu marido que vou falar em japonês melhor do que ele. Vontade é o que não falta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Diana!
      Precisamos voltar a ter aquela coragem e força de vontade, de anos atrás. Ter tradutores e lojas de produtos brasileiros facilitou a nossa vida, mas devemos sempre estar aprendendo não só o idioma, mas a cultura também.
      Beijo

      Excluir