segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Aniversário da Laís - parte I

Eu adoro pregar um botão, costurar e amarrar fitinhas. Fico enlouquecida por um pedaço de papel colorido e passo horas, noites, dias, semanas sentada fazendo colagens e montagens. Já disse que quero morar numa chácara, numa casinha branca com varanda e com uma tabuleta no portão dizendo: ATELIER DA VOVÓ.
Amanda segue o mesmo caminho. Eu, ela e minha irmã Katia temos o dom de transformar um simples retalhinho ou um papel colorido em um pedacinho de sonho e costurando e colando vamos montando, como um quebra cabeça.
O 1º aniversário da Laís foi um desses sonhos, montado em dois países.
As fotos não estão com aqueeeela qualidade, mas dá pra se ter uma idéia. Foi uma tensão gigantesca, porque eu não tinha muito tempo, o correio estava em greve, todos ansiosos.
Fiz o album de assinaturas e a decoração, Amanda e a Katia. Não postei antes, porque era uma surpresa para a Amanda. Parece que ela e Keity gostaram. Fiquei sabendo que choraram de emoção.


Comprei um album de fotos com a capa em tecido. Apliquei um vestido de pano sobre o outro que já veio no album. Apliquei fitinhas de cetim no varal e um passaro.


O nome da Laís, comprei de um artista de rua, que estava trabalhando na estação de kanayama. Foi uma coincidencia super legal. A folha com a joaninha (tema da festa) é uma aplicação em feltro.



A introdução (perdoem a qualidade da foto, rs) é um poema que escrevi. Pena que não me lembro de cor. Pedirei para Amanda me enviar e depois posto.


Em cada pagina, coloquei uma foto da Laís e cartões para a mensagem. Nos cartões desenhei com canetinha hidrocor, varais com roupinhas. Ficou bem infantil, na verdade, eu é que não sei desenhar.


Amigos e chefes japoneses, amigas peruanas e brasileiras e a familia que está aqui,
 escreveram mensagens lindas!


Mensagem de uma amiga japonesa


No proximo, postarei as fotos da decoração da festa. Pra aguçar a curiosidade só UMA foto.




domingo, 5 de fevereiro de 2012

Vaso ruim não quebra?

Se vai doer a alma ou se vai ser bom, eu não sei. Já que não tem jeito, deixa acontecer.
Se quebrar, a gente cola.
A pedra mais preciosa do mundo não vale nada se não for quebrada e lapidada...
Acho que nos tornamos pessoas melhores quando levamos um tombo. Nos faz ir mais devagar e a prestar atenção nos buracos do caminho. Mas isso depende muito da pessoa machucada; algumas se trancam em casa com medo, outras juntam os cacos e continuam.
Eu sou feita de adamantium, como as garras do Wolverine e ambos parecemos indestrutiveis e talvez sejamos mesmo, exceto por uma coisa: nosso corpo e nossa mente são protegidos por essa liga metálica mas nossos corações são feitos de cristal, não por ser valioso mas por ser frágil. Ops! e somos baixinhos.
O que?? aquele brutamontes rude e ranzinza, frágil?
Se você leu a saga nos quadrinhos ou viu o filme - interpretado pelo Hugh Jackman - , vai entender.




Não queria fugir do tema, mas sou feita de carne e ossos - mais osso que carne :( - e não poderia deixar de comentar QUE HOMEM É ESSE??  (suspiros...)

Outro dia escrevi no Facebook que quando fico brava de verdade, o diabo fecha as portas e janelas do inferno, com medo de sobrar pra ele. Falo e faço coisas que chegam a magoar, sei que talvez eu lute por pessoas e causas erradas, mas não consigo evitar...
Nem sei quantas vezes quebrei a cara defendendo as pessoas e me pergunto onde essas pessoas estão hoje? Espalhadas pelo mundo, vivendo longe das minhas asas protetoras.
Mazinho sempre  diz que sou um caquinho de vidro. Sou um prisma, que quando reflete a luz, irradia luzes coloridas, maravilhando ou cegando. Tudo em mim é intenso. Raiva, paixões, alegria. 
imagem web
Me conte uma piada e eu rirei até fazer xixi na calça. Me magoe e eu chorarei um oceano. Me enfureça e enfrente uma tormenta. Me ame e... bem, não sei se corresponderei, porque amor eu só tenho pra um. Já houve espaço para muitos, numa epoca em que eu experimentava brincar de amor. Eu tinha treze anos e achava que o amor era feito de sete cores e doce como um bombom. Guardei até hoje a embalagem daquele bombom (já contei a historia, nem me perguntem quando foi, porque não lembro nem se tomei banho ontem, quem dera lembrar o dia dessa postagem, hahahahaha).
Mazinho me mostrou que o amor é feito de elefantes rosas - não adianta que essa eu não conto nem sob tortura. 
Do que a gente tava falando mesmo? Ah, sim. Wolverine. Não? 
Relacionamentos são complicados. Pais e filhos; casais; parentes; chefe e subalterno; homens e animais. Mas nenhum é tão complicado quanto amigos.
Marido e mulher fazem as pazes quando prevalece o amor. Pais perdoam os filhos porque são filhos e filhos passam a entender os pais quando se tornam pais. Homens são ingratos e trocam de animal de estimação quando enjoam e os bichinhos continuam a ama-los incondicionalmente. Brigou com o chefe? Troque de emprego.
Amigos são... complicados. Uma parte de mim foi estraçalhada e até hoje tento colar os caquinhos. Prisma  pode ser consertado mas jamais refletirá a mesma luz. Pedi para não fazerem velório, pois tenho medo de não haverem mãos suficientes para carregar meu caixão. Pedi para ser cremada, pois tenho medo de ninguém ir me visitar no Finados.
Estou sendo injusta, sei que muitas pessoas gostam de mim, mas tenho tanto medo! Passei muito tempo com medo de amar o Mazinho, com receio de perde-lo assim que falasse Eu Te Amo. Perdi muito tempo... Hoje, superei essa fase e falo com todas as letras e em todos os idiomas deste planeta e se há vida extraterrestre, com certeza falarei em ETnês.
Agora estou tentando superar o medo de ter um milhão de amigos e nem saber sequer o nome deles.



Christmas In Box

Bom... o Natal já passou; os dias voaram tão rápido que hoje já é dia 05 de fevereiro (e ?); muita coisa aconteceu e eu estou atrasadíssima com as postagens :(
Se o Natal fosse como Drummond queria (você pode relembrar aqui) , todos estaríamos felizes, comemorando, confraternizando e... de folga!
Como nada na vida é como a gente quer, encaixotei meu Natal.
Levei dias montando e decorando a árvore, escolhendo cada enfeite e pensando nos pedidos que foram escritos nos cartões que EU MESMA FIZ, hehe. E vira a árvore pra cá, e vira pra lá. Fiz tudo sozinha, porque com minha mania de perfeição e de fazer as coisas do meu jeito egoísta de ser, Beto e Lucas só ficaram olhando. Eu queria que eles participassem da montagem, como toda família americana dos filmes, mas acabou dando tudo certo e nosso Natal estava pronto.


Agora é a Hora do Ritual de Encaixotar o Natal.







E eu começo a ficar triste







Como se um anjo tivesse caído







E fosse esquecido dentro de uma caixa






Mas enquanto restar, mesmo que só uma bola de Natal,
Haverá esperança







E nossos desejos e anseios estarão a salvo 







Mesmo que adormecidos dentro de uma caixa








E será Natal todos os dias!